Ementas 

Eav - Escola de Artes Visuais  do Parque Lage:

Palavra Impressa:

Orientadores: JULIO CASTRO E PEDRO ROCHA

Segundas feiras das 15 as 18h sala gravura em metal/xilogravura

Objetivos: Desenvolver todos os aspectos da comunicação na palavra impressa. As cores, o tamanho, a geografia das formas, da grafia, da tipologia da utopia do diálogo entre forma e conteúdo como diferentes vozes resultantes no objeto final.  Os caminhos entre a narrativa lírica do texto e a materialidade do verso impresso no papel, na pele da cidade ou onde mais quisermos.

O objeto final será uma publicação coletiva a partir da produção de imagens e textos impressos com matrizes elaboradas pelos participantes. A oficina de gravura será o suporte operacional do trabalho.

Conteúdo: Ao instrumentalizar os participantes da oficina da palavra impressa com as técnicas da Oficina de gravura, ampliamos as bordas do conteúdo escrito e insuflam-se camadas na comunicação. Com variáveis diversas e toda a possibilidade de invenção, a gravura adiciona intenções distintas a um mesmo texto como fosse a própria oralização da escrita. Imagem narrada, narrativa entalhada.

Dinâmica / Metodologia:

1ª etapa

Conversa – debate – planejamento

2ª etapa

O grupo irá experimentar recursos de xilogravura, cologravura (matrizes em papel) e materiais pesquisados pelo grupo em práticas semanais na oficina de gravura de modo a solucionar questões surgidas no desafio proposto pelo curso. Pesquisa sobre a relação entre poesia e visualidade. Investigar e desenvolver o discurso/desejo que cada estudante encontrará na voz da madeira e de alguns materiais alternativos. Encontros para mostrar experiências similares e complementares de outros artistas.

 3ª etapa

Impressão das imagens e  montagem da peça-poema.

Debate e exibição do trabalho realizado.

Poema Potência

Professores:

Pedro Rocha e Domingos Guimaraens

Resumo:

Oficina de leitura e escritura que fomenta a criação de seus participantes. A intenção é cada um construir sua identidade a partir de um processo de discussão coletiva e traduzir a fome de expressão para a via da palavra, escrita e falada. A oficina traz elementos de outras manifestações artísticas – visual, sonoro e sensorial – ao mesmo tempo que cobre um amplo período histórico – do clássico ao pop – com ênfase na experimentalidade e no marginal.

Objetivos

Poema Potência é uma oficina de leitura e escritura que fomenta a criação de seus participantes. Cada um construirá sua identidade a partir de um processo de discussão coletiva.

 Os participantes são convidados a trabalhar o som, o ritmo, a plasticidade da palavra no papel, as interferências sonoras, as experiências de publicações, formatos, conteúdo, a forma de se colocar, a veia de expressão, a gestalt de cada palavra, o que se quer dizer com suas próprias palavras, até a flor da fala em sua forma de explosão, de flecha, de ríctus pairando a multidão.

Conteúdo

Poema Potência  traz elementos de outras manifestações artísticas (visual, sonoro, sensorial) e cobre um amplo período histórico, do clássico ao pop, com ênfase na experimentalidade e no marginal.

Dinâmica / Metodologia

Experimentação poética onde se faz também não sabendo, onde se faz intuindo, onde se faz, fazendo.

Mas como é que se faz, qual é a magia?

Se faz com o que se tem dentro: garra, fissura.

Se faz com a vontade de fazer piada, de fazer política, de fazer.

Com gentileza, com brilho. Ação e pensamento.

Dar vez a voz de quem quer ter vez, descobrir que tem voz; que tenha uma única palavra, que seja, a dizer: “fazendo”.

Talvez por meio de comícios, duelos poéticos, talvez cenas tristíssimas, hilárias, recitais brechtianos, funk; a direção se dará no processo.

Público alvo:

Aberto a quem quiser investigar a “escritura” e estreitar a experiência com o poema falado, assim como a poesia no espaço urbano.

 Bibliografia sucinta:

O curso permitirá a leitura dos seguintes autores: Oswald de Andrade, Angélica Freitas, Raul Zurita, Sylvia Plath, Laura Riding, Alejandra Pizarnik, Safo de Lesbos, Tati Quebrabarraco, Octavio Paz, Chacal, Mallarmé, Guilherme Zarvos, Washington Cucurto, Bruna Beber, Friedrich Nietzsche, Machado de Assis, Maiakovski, Khliebnikov, Julio Cortazar, Ericson Pires, Rmon Mello, Hector Hernandes Montecinos, Carlos Drummond de Andrade, Augusto de Campos, Ferreira Gullar, Ricardo Basbaum, Luis Gonzaga do Nascimento Jr., João Cabral, Domingos Guimaraens, Mark Strand, Allen Ginsberg, Eduardo Galeano, Idea Vilariño, Matilde Campilho, Eucanaã Ferraz, Pablo Paredes, Cildo Meireles, grafite e escritos urbanos, entre outros.                                     

Poesia e Corpo

Oficina de Poesia para Crianças

 

Monitores:

Regina Neves

Pedro Rocha

 

Objetivo

 

Trabalhar o desabrochamento do ser poético nas crianças, ou da poesia nas crianças. Comprovar com o que as crianças entendem do mundo, que o poema já é, em si, uma proposta para o mundo.

Junto com as crianças nos abrimos à inspiração poética, a partir de um movimento, uma imagem, uma melodia, um poema, um conto; deixando que através de nossos corpos se expressem emoções, sentimentos, ideias ou pensamentos.

Facilitar o afloramento da linguagem poética: a observação do espaço onde estamos; a casa, a rua, a cidade, o mundo. A observação das pessoas, dos animais, das plantas: os movimentos, os sons, as cores, as formas. O que nos inspira quando direcionamos a atenção para isso.

Desenvolvimento das possibilidades de mundos a se construir, conjugar as diversas percepções, experiências e expressões. Inaugurar pensamentos, explicar-se através de um gesto poético. Descobrir os gestos poéticos que estão no mundo.

Abrir espaço para a liberdade de pensamento, de inspiração. Encontrar nosso corpo poeta, o corpo poeta das ruas da cidade. Os poemas escondidos nos movimentos dos corpos, nos ritmos das ruas, nos sons das vozes, nos silêncios.

Investigar também os aspectos da comunicação da palavra impressa. As cores, o tamanho, a geografia das formas, da grafia.

 

 

Conteúdo

 

Nossa proposta envolve o corpo como instrumento natural e único de cada um e de todos nós, a partir da experimentação, da expressão, do reencontro com as possibilidades de movimentos, sons, vozes, formas, contato e improvisações estimulando a linguagem corporal, a linguagem falada, atuando e despertando a expressão criativa das outras inteligências – as emoções, os pensamentos; permitindo à criança utilizar todo seu potencial para comunicar-se canalizando energias que muitas vezes se apresentam de forma dispersa.

Ao estimular o olhar poético, a descoberta da poesia no entorno em que vivemos, no gesto cotidiano, buscamos desenvolver nas crianças, suas possibilidades de independência e confiança na comunicação de suas ideias e na relação com as outras crianças e adultos, ao mesmo tempo que acreditamos na sua integração mais fluida e criativa nos espaços cotidianos da casa, da rua, da cidade e do mundo.

 

 

 

Idade: de 6 a 8 anos e de 9 a 12 anos (horários diferentes de manha e de tarde)

 

Aula pública: 1 vez por mês no sábado com participação dos pais

 

© 2023 por EDUARDO MÜLLER. Orgulhosamente criado com Wix.com